26
jul

Câmara de Cantagalo firma parceria com o Centro de Memória, Pesquisa e Documentação de Cantagalo

Após diversos encontros e reuniões, a Câmara Municipal de Cantagalo deu um importante passo para a preservação de um dos seus patrimônios mais significativos: o acervo documental da casa legislativa. O Centro de Memória, Pesquisa e Documentação de Cantagalo colocou à disposição do legislativo cantagalense os serviços de catalogação, higienização e digitalização de acervos. Os livros históricos começaram a ser retirados do arquivo do legislativo nesta quarta-feira, dia 25 de julho de 2018, para a realização dos procedimentos. Datados do ano de 1815 a 1950, os 243 livros históricos servirão para a realização de pesquisas científicas por profissionais e estudantes do curso de História do Polo CEDERJ/Cantagalo.

Coordenador Local do CMPD-Cantagalo e Tutor Presencial do Curso de História EAD da UNIRIO, Wesley da Silva Gonçalves explica que todo o trabalho com o acervo da Câmara de Cantagalo será realizado pelos bolsistas do CMPD-Cantagalo, com a supervisão dos professores coordenadores do projeto. “No ano de 2013 obtivemos junto à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) o deferimento de um projeto de pesquisa com a linha de financiamento do edital “Apoio às Instituições Sediadas no Estado do Rio de Janeiro”. Deste modo, o CMPD pôde adquirir um conjunto de equipamentos para a realização de procedimentos de digitalização e conservação de acervos, tendo com isso formado uma equipe com profissionais habilitados para o trabalho com documentos históricos”, afirma Wesley.

O Presidente da Câmara de Cantagalo, vereador Ocimar Ladeira Pulunga fez questão de salientar que a formalização da parceria para a realização de tais procedimentos não irá gerar gastos para o poder legislativo. “Além de ser uma iniciativa importante para a conservação de livros que fazem parte da história de nosso município, tais procedimentos serão realizados sem gerar nenhum custo para a Câmara de Cantagalo. Os documentos também ajudarão nas pesquisas dos profissionais e alunos do curso de História do CEDERJ de Cantagalo”, explica o Presidente da Câmara.

O vereador Professor João Bôsco ressalta que o Centro de Memória, Pesquisa e Documentação de Cantagalo não tem perfil de unidade custodiadora. “Após o acervo documental passar pelos procedimentos técnicos, todo ele será devolvido ao legislativo cantagalense. Além disso, a Câmara de Cantagalo receberá também uma cópia digital de todo o acervo processado”, conclui o vereador, que levou a ideia da parceria ao Presidente da Câmara de Cantagalo no início desse ano.

Skip to content