Noticias

Marco dos 200 anos é inaugurado na Praça Miguel de Carvalho

Marco dos 200 anos é inaugurado na Praça Miguel de Carvalho

Para marcar as comemorações pelo bicentenário do município, a Prefeitura de Cantagalo inaugurou, nesse domingo, 9 de março, quando a cidade completou 200 anos de emancipação da Vila de Santo Antônio de Sá, que nem existe mais, e cuja sede ficava onde hoje é território de Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, o marco do bicentenário.

Contando com participação da população e de vários convidados, o prefeito Saulo Gouvea (PT) descerrou duas placas junto ao monumento já existente do centenário de elevação de Cantagalo à categoria de cidade, na Praça Miguel de Carvalho, onde fica o prédio da Prefeitura: uma com a logomarca criada para marcar os 200 anos, obra do designer gráfico cantagalense Gustavo Huguenin; outra, da Câmara Municipal, numa homenagem do Poder Legislativo ao povo do município.

Realizada por volta das 10 horas, compuseram a formação principal, além do prefeito, o vice-prefeito Edivaldo Oliveira (PMDB); a presidente da Câmara Municipal, vereadora Renata Huguenin (PSC); a secretária municipal interina de Cultura, Ana Paula Giron, que representou os demais secretários; o professor Gerson Tavares do Carmo; e o prefeito de São Sebastião do Alto, Carmod Bastos (PT), um dos 14 municípios que já integraram o antigo território de Cantagalo.

Antes de descerrar as placas, Saulo Gouvea chamou a atenção para o momento histórico vivido por Cantagalo e reforçou o seu compromisso de trabalho, que, para ele, vai além das comemorações culturais e recreativas que tiveram início no último dia 27 de fevereiro e se encerrarão no próximo domingo, 16 de março. “Tenho um compromisso ainda maior com este município e quero fazer tudo o que for possível para brindar Cantagalo com muitos projetos, que já começarão a entrar em execução neste ano do bicentenário. Temos mais de R$ 6 milhões em emendas parlamentares estaduais e federais, outros R$ 6 milhões do programa Somando Forças, do Governo do Estado, e, ainda, outras fontes de recursos para mudar os cenários de saúde e de saneamento básico da cidade, como a execução do nosso Plano de Saneamento Básico, cujo projeto, orçado em R$ 15 milhões, já está em análise na Funasa (Fundação Nacional de Saúde) e, se Deus quiser, seremos contemplados com esses recursos”, disse, agradecendo a todos, enaltecendo o orgulho de estar à frente do Executivo. “Este marco é para a posteridade, mais um registro da importante história deste município”, concluiu.

Ana Paula Giron, secretária interina de Cultura, disse que o marco apenas assinala o espírito de trabalho, de união e de desejo de prosperidade do povo cantagalense, que festeja os 200 anos, mas que trabalha, dia a dia, pelas causas do município. “O marco é o símbolo maior da nossa gente, representa o que construímos nesse bicentenário e o que ainda almejamos”, discursou.

O prefeito de São Sebastião do Alto, Carmod Bastos, falou do aprendizado que Cantagalo passa para os demais municípios da região. “Cantagalo deu origem a toda a região e, como representante de São Sebastião do Alto, um município que também se emancipou daqui, não poderia deixar de participar desse momento especial e desejar a todos os cantagalenses muitas felicidades e que possamos, unidos, caminhar rumo a um futuro ainda mais promissor”, destacou.

Já a presidente da Câmara Municipal, vereadora Renata Huguenin (PSC), falou sobre a importância do Poder Legislativo, instituído no município em 1860, para a composição da história política de Cantagalo. “É bom saber que toda essa história teve a participação da representação popular através da Câmara, cujo prédio também fica aqui perto e que, este ano, será totalmente restaurado. Para nós, vereadores, entregarmos ao prefeito essa placa para marcar os nossos 200 anos é um momento especial para a nossa Casa de Leis”, lembrou.

Outro que decidiu falar, a pedido do prefeito Saulo Gouvea, foi o professor Gerson Tavares do Carmo. Ele lembrou os pesquisadores Henrique Bon e Clélio Erthal, com quem dividiu o trabalho de convencimento das autoridades municipais, no início dos anos 2000, de que Cantagalo comemora o aniversário de emancipação equivocadamente em 2 outubro. “Conseguimos, através de documentos, comprovar que a data correta é 9 de março e que o 2 de outubro se refere, apenas, à elevação à categoria de cidade, título que, naquela época, era concedida separadamente. Desta forma, este marco é o símbolo maior de que nosso trabalho valeu a pena e que Cantagalo, hoje, se destaca como o município mais antigo da região, colocando-o no patamar de onde jamais deveria ter saído”, explicou.

Escrito por: Gilmar Marques

[singlepic id=17 w=320 h=240 float=center]

[singlepic id=18 w=320 h=240 float=center]

[singlepic id=19 w=320 h=240 float=center]

[singlepic id=20 w=320 h=240 float=center]

[singlepic id=21 w=320 h=240 float=center]

[singlepic id=22 w=320 h=240 float=center]

Deixe seu Comentário

Back-To-Top